NAVIGATION

AD São Miguel dos Campos

Image

Em 1933 chegou a São Miguel dos Campos/AL, o evangelista José Antônio de Almeida e, guiado por Deus evangelizou o marceneiro Augusto Sertão. A perseguição foi grande e o evangelista para sobreviver teve que voltar a Maceió....LEIA MAIS

SOCIAL MEDIA

destaque

Lição 4- A Mordomia da Família Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues

Lição 4- A Mordomia da Família Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues | AD São Miguel dos Campos

INTRODUÇÃO:

O Senhor nosso Deus nos ama e manifesta seu amor no cuidado que tem por nós. Compreendemos melhor esse cuidado, quanto mais conhecemos acerca das coisas que Deus tem preparado para nós o seu povo. A família é uma das áreas onde o amor de Deus pelos seus eleitos se demonstra mais intensamente. Na aliança de amor que Deus estabeleceu com a sua criação e o seu povo, a família recebe um cuidado todo especial. Assim, tanto o primeiro lar, como nosso lar futuro, nos dão vislumbres gloriosos de Deus e de seu projeto para a família.

I – A FAMÍLIA NO PLANO DE DEUS

1. A instituição do casamento

-Antes de instituir a família, Deus instituiu o casamento (Gn 2.24)

-Jesus confirmou a instituição da família (Mt 19.4,5)

2. A origem da família

-A partir do homem e da mulher, Deus estabeleceu a família (Gn 1.28)

-Foi a partir de uma família que Deus prometeu abençoar todas as nações (Gn 12.3)

-A família é a base da sociedade (Mc 10.1-12)

II – A MORDOMIA DA FAMÍLIA

1. Os princípios que regem o casamento cristão

-O princípio da monogamia (1Co 7.1,2)

. Um homem e uma mulher (Gn 2.24)

. Após a queda, o homem não obedeceu a esse princípio (Gn 4.19)

. Após a queda surgiram vários abismos: incesto, homossexualismo, pedofilia, zoofilia, necrofilia, e outras abominações (1Co 5.1)

-O princípio da heterossexualidade

. Um homem e uma mulher unidos para sempre sob as bênçãos de Deus (Gn 2.24)

. A heterossexualidade é o princípio inegociável em qualquer tempo ou lugar (Mc 10.6)

. Esse princípio só se sustenta sob o amor (Mt 22.37-40; cf. Ef 5.22-25)

2. A prioridade da família

-A igreja local deve incentivar a mordomia da família (1Tm 5.8)

. Saiba priorizar a família

-A família é muito importante no contexto eclesiológico (1Tm 3.4,5)

. Não perca a sua família (Coloque sua família na Arca. Hb 11.7)

3. O relacionamento entre pais e filhos

-Os filhos devem ser cuidados na doutrina (Ef 6.4)

-Os filhos são herança do Senhor (Sl 127.3)

-Além de zelo espiritual, os pais devem ser exemplos de amor conjugal, paternal e maternal (At 10.2; Tt 2.3,4; Ef 5.28)

III-OS PRINCÍPIOS DO LAR:

Os princípios desse primeiro lar eram os seguintes:

1-O Senhor Deus formou o homem e o colocou no jardim. “Deus” é o Criador soberano. “Senhor” é o seu nome pessoal; revela seu relacionamento pessoal e seu compromisso com o homem e a mulher.

2-Deus construiu o lar do jardim. Esse santuário foi edificado e abastecido por Deus. Era o lugar ao qual eles pertenciam.

3-Homem e mulher foram criados à imagem de Deus. Tinham capacidade para viver em comunhão íntima com Deus. Havia igualdade de posição, como portadores da imagem de Deus.

3-Foram criados macho e fêmea. A igualdade não excluía a diversidade de sexos. A igualdade permitia que essa distinção fosse perfeitamente complementar, que se mesclassem numa unidade que refletia gloriosamente a unidade da Trindade.

4-O homem foi criado primeiro e deu nome à mulher. A ordem da criação e o privilégio de dar nome à mulher conferiram ao homem a responsabilidade da liderança e autoridade na casa (1Tm 2.11-13).

5-A mulher foi planejada para ser auxiliadora. Isso não implicou inferioridade de posição ou de responsabilidade. A palavra hebraica para auxiliadora – ezer – muitas vezes é usada no Antigo Testamento para se referir a Deus como nosso ezer. É a presença da mulher neste contexto que dá inteireza ao lar do jardim, tornando-o completo.

6-Eram uma só carne. Essa intimidade maravilhosa removeu a solidão de Adão e proclamou a centralidade do casamento. O fato de serem homem e mulher, marido e esposa, dois numa só carne, exige um respeito mútuo, de forma que respeitar o outro é respeitar a nós mesmos.

7-Casamento significaria deixar pai e mãe. Adão e Eva seriam o pai e mãe de quem os filhos deveriam se separar para constituir seus próprios casamentos. Por meio desse processo, os relacionamentos ficariam fortalecidos, e a unidade das famílias ficaria preservada.

8-O homem estava unido à sua esposa. Essa é uma linguagem pactual, que reflete o compromisso de Deus para com os seus.

9-Havia nudez, mas não vergonha. Homem e mulher podiam estar nus, um diante do outro, porque refletiam mutuamente a glória de Deus.

10 - Adão e Eva tinham responsabilidades. O primeiro casal podia refletir mutuamente a glória de Deus e então voltar-se para a criação com uma unidade de propósito – obedecer ao mandato cultural de ser fecundo e de exercer domínio sobre a terra.

O lar do jardim era um santuário da graça porque Deus estava lá e vivia em comunhão com os portadores da sua imagem. Adão e Eva contemplavam a glória de Deus e então tocavam um ao outro com a glória daquele amor. Todas as responsabilidades de um para com o outro, e de ambos para com a criação, estavam em harmonia. Não havia egoísmo, vergonha, nem tristeza.

O lar do jardim está fora de alcance para nós, hoje. Não podemos alcançar plenamente aquela unidade, porque pecamos em Adão.

IV- PROTEGENDO A FAMÍLIA CONTRA OS ATAQUES DE SATANÁS:

Não podemos evitar que nossa família sofra investidas do diabo, mas podemos proteger a nossa família das suas astutas ciladas (Ef 6.10,11). Vejamos como podemos proteger nossa família:

-1-Santificando o lar (Lv 20.26; 2 Co 7.1; 1Ts 4.7);

-2-Praticando o culto doméstico regularmente (Dt 6.7-9);

-3-Mantendo uma vida de oração e jejum (Rm 12.12; Cl 4.2; 1Ts 5.17);

-4-Ensinando a Palavra de Deus no lar (Pv 22.6; At 5.42);

-5-Frequentando os cultos no templo assiduamente (Sl 122:1).

-6-Vigiando em todo tempo (At 20.31; 1 Co 16.13; Cl 4.2; 1Pd 5.8).

CONCLUSÃO: O empreendimento de nutrir uma família forte está acima do nosso alcance. Entretanto, esse empreendimento foi projetado para nos levar além da nossa capacidade e nos introduzir na esfera da graça. A graça de Deus nos capacita a viver acima da habilidade que possuímos, pensando nas pessoas de modo prático e pedindo graça ao Senhor para mostrarmos às pessoas a bondade de Deus. Deus criou a família dentro de um plano especial. Deus fez homem e mulher, dando a ambos alguém com quem refletir a glória de Deus. E Deus deu a ambos uma incumbência cultural, providenciando os recursos necessários para que cumprissem suas responsabilidades (Gn 1.29,30). Que Deus nos ajude a cumprir a mordomia de nossa família, a qual responderemos por ela diante de Deus (Jó 1:5).



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Deixe seu Comentário!



Top