NAVIGATION

AD São Miguel dos Campos

Image

Em 1933 chegou a São Miguel dos Campos/AL, o evangelista José Antônio de Almeida e, guiado por Deus evangelizou o marceneiro Augusto Sertão. A perseguição foi grande e o evangelista para sobreviver teve que voltar a Maceió....LEIA MAIS

SOCIAL MEDIA

destaque

LIÇÃO 3 - A NATUREZA DOS DEMÔNIOS - AGENTES DA MALDADE NO MUNDO ESPIRITUAL Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues

LIÇÃO 3 - A NATUREZA DOS DEMÔNIOS - AGENTES DA MALDADE NO MUNDO ESPIRITUAL Comentário da lição bíblica para o fim de semana com Pr. Jairo Teixeira Rodrigues | AD São Miguel dos Campos

Texto: Apocalipse 12.7-10

Introdução: Nesta semana estudaremos Demonologia, uma matéria da Teologia Sistemática que, como todo assunto doutrinário, tem elos com a Teologia Bíblica e a História da Igreja. A partir dessas áreas de conhecimento, podemos compreender o que as Escrituras dizem sobre o assunto, como os primeiros cristãos originais entendiam o tema e o processo que resultou a doutrina que conhecemos hoje. Por isso, o programa de leitura é imprescindível na vida de quem leva a sério o ministério do magistério cristão. Vamos aprender que os demônios são os anjos decaídos que se rebelaram contra Deus seguindo o seu maioral, Satanás.

I - A ORIGEM DOS DEMÔNIOS

1. No estudo da Angelologia não só as Escrituras focalizam os anjos do bem que, segundo se diz, se movimentam neste vasto reino de luz, mas elas também de igual modo, nos informam sobre o vasto reino de seres tenebrosos, isto é, o mundo dos espíritos malignos, que se opõem tanto a Deus como à sua obra. Eles são chamados tanto no Antigo como no Novo Testamento, por vários nomes e títulos que representam suas disposições hostis a Deus e aos homens. Um destes seres é Satanás que iremos observar à luz de cada contexto.

1.1. Eles são os restantes dos anjos que seguiram Satanás após a sua rebelião contra Deus (Ap 12.9)

Quem são os demônios? O que eles fazem? Essas perguntas podem ser elaboradas na lousa ou em um slide, ou ainda, em um retroprojetor. Iniciar a aula fazendo essas perguntas ajuda os alunos a reflexão acerca da identidade das dos espíritos malignos que a Bíblia descreve. O professor, ou a professora, pode usar esta citação para uma resposta mais elaborada sobre os anjos caídos: “São os que se rebelaram contra DEUS. Eles foram criados por DEUS e eram originalmente bons e, assim como o ser humano, dotados de livre-arbítrio; porém, sob a direção de Satanás, eles pecaram e rebelaram-se contra DEUS, tornando-se maus. São identificados como „espíritos imundos‟, „espíritos malignos‟, „demônios‟” (Declaração de Fé das Assembleias de DEUS. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, p.89)

2. A expulsão do querubim ungido

2.1. Satanás é o maioral dos demônios (Mt 12.24; 25.41)

2.2. A história da expulsão do querubim ungido

. Deus criou o querubim ungido (Ez 28.12-15)

. Esse querubim se rebelou contra Deus e foi expulso do céu (Is 14.12-15)

. Com sua queda, alguns anjos aderiram à sua rebelião

. Uma parte deles continua em prisão (2Pe 2.4; Jd 6)

2.3. Apesar da Bíblia não fornece muitos detalhes sobre os demônios, essas passagens podem apontar a sua origem.

3. Os demônios na cultura pagã

3.1. Demônio: (Gr) Daiamonion: demônio, um deus, uma divindade. (Designam os deuses pagãos Dt 32.17)

3.2. Espírito mal, demônio (Gr): Daimon

3.3. A natureza inconsequente desses espíritos os associa com o mal, com toda maldade do mundo.

II - BATALHA NO CÉU

1. O Arcanjo Miguel e o dragão (v.7)

1.1. O Arcanjo Miguel lidera uma guarnição angelical (Dn 10.13,21; 12.1; Jd 9)

1.2. O dragão é identificado como o próprio Satanás (Ap 12.9)

. É a antiga serpente do Éden (Gn 3.1-4, 13-15)

1.3. O Arcanjo Miguel luta e é vencedor, expulsa Satanás e seus anjos do céu (Ap 12.8)

2. A expulsão de Satanás (v.8)

2.1. Interpretações teológicas

. Alguns dizem que essa passagem se refere à queda original de Satanás

. Alguns dizem que Satanás teria acesso ao céu antes da ascensão de Jesus

. Esses argumentos são baseados em: (1Rs 22.23; Jó 1.6-9; 2.1-6; Zc 3.1,2)

2.2. De uma forma ou outra a derrota do inimigo já foi decretada (Lc 10.18)

3. A vitória final sobre Satanás

3.1. A derrota do Diabo teve início com a morte, ressurreição e ascensão de Jesus

. As acusações do Diabo contra nós caíram por terra

. Jesus nos justifica diante do Pai (Rm 5.1; 8.33)

3.2. o mérito da vitória não é do arcanjo Miguel, mas de Jesus.(Jd 9)

3.3. Satanás vai ser preso por mil anos, depois ser lançado no lago de fogo (Ap 20.3,10)

. Deus tem a vitória completa (Rm 16.20)

III - O LUGAR DE SATANÁS NA TEOLOGIA CRISTA:

3.1. Existe um lugar legítimo para a demonologia na teologia cristã? Existe uma base legítima para incluir o demonismo nas confissões de fé da Igreja? Certamente, "crer no" diabo não é linguagem apropriada para o credo cristão. Neste, a fé em DEUS e o repúdio ao diabo e a todas as forças que servem a causa da iniquidade devem ser bastante claros. Mas que tipo de ênfase devemos dar, na confissão cristã, e esse repúdio de Satanás?

O poeta Howard Nemerov declarou: "Hesito muito em falar do Diabo para ninguém pensar que o estotrtn-vocan-do."66 Karl Barth deixou claro que só daria uma olhadela rápida e penetrante na área da demonologia. A olhada deve ser "rápida" para não dar valor e atenção desnecessários ao demonismo.67 Para Barth, a teologia devia ser dominada pela graça de DEUS revelada em CRISTO. Mas a olhada tem de ser "penetrante" pois o demonismo não deve ser tratado levianamente. Infelizmente, nos movimentos pentecostais e carismáticos, os ministérios de guerra espiritual e de libertação abundam, dedicando atenção deliberada ao âmbito do demonismo.

3.2 Muitos defensores de semelhantes ministérios vão nitidamente além do lugar legítimo que a mensagem bíblica atribui ao demonismo. Parece que nesses ministérios há certo fascínio com o âmbito dos demônios, e o resultado é que muito mais atenção é prestada a eles do que a Bíblia pode apoiar. Realmente, certa glória e legitimidade são concedidas ao diabo em tais ministérios. O diabo é frequentemente referido como o elemento exclusivo (ou pelo menos, dominante) em toda a oposição aos propósitos redentores de DEUS para a humanidade. 

3.3 A totalidade da atividade divina na redenção é reduzida à destruição do diabo de modo que a soteriologia, a cristologia, a pneumatologia e todas as demais áreas da teologia são debatidas quase exclusivamente à luz da luta contra os demônios! Sem o diabo, semelhante pregação e teologia seriam reduzidas a uma casca vazia! Em semelhante contexto, a demonologia concorre muito bem com DEUS e com todas as demais áreas da teologia, e exige e conseguiu atenção igual, ou até mesmo maior. R.Gruelich sustenta que o novelista Frank Peretti tem dado seu apoio literário a semelhante distorção teológica, pois considera que o mundo e o destino humano estão dominados pelos resultados da guerra contra os demônios.68

Em semelhante contexto, a demonologia recebe glória e relevância teológica muito além dos limites estabelecidos pela Bíblia. Nessa visão, acredita-se que o horizonte do mundo cristão esteja cheio de ataques de demônios. A forma grotesca dessa crença acha-se na suposição de que os demônios podem possuir e dominar cristãos desobedientes. Para harmonizar tal suposição com o ensino bíblico de que os cristãos pertencem a CRISTO e que são dirigidos primariamente pelo ESPÍRITO de DEUS (Rm 8.9-17), uma dicotomia antibíblica é estabelecida entre o corpo e a alma de modo que DEUS acaba dominando a alma ao passo que os demônios controlam o corpo.69 Mas a Bíblia ensina que uma lealdade tão radicalmente dividida é uma impossibilidade para a pessoa de fé genuína (Mt 7.15-20; 1 Co 10.21; Tg 3.11-12; 1 Jo 4.19-20).

3.4 A glorificação dos demônios no mundo cristão tem seu paralelo numa tendência semelhante na cultura. A humanidade sempre sentiu certo fascínio pelas coisas sinistras e demoníacas. Maxilmilian Rudwin declarou, por exemplo, que a figura de Satanás "avulta-se amplamente na literatura". Acrescenta: "Seria realmente triste a situação da literatura sem o diabo." A história das práticas ocultistas tem se alimentado do fascínio que a humanidade sente pelos demônios. 

IV -O TESTEMUNHO DAS ESCRITURAS:

4.1 testemunhos das Escrituras oferece-nos fontes específicas de orientação para discernirmos as forças do mal e da opressão. Há um critério cristológico e uma base no ESPÍRITO de DEUS para o discernimento do mal. Por exemplo: já que DEUS criou a humanidade à sua imagem, e reivindicou o direito à raça humana mediante o nascimento, morte e ressurreição de CRISTO, qualquer tentativa de desumanizar uma pessoa contradiz o amor divino, e serve aos propósitos das forças das trevas. Já que o ESPÍRITO ungiu a CRISTO para pregar as boas novas aos pobres, aos cegos, e aos presos (Lc 4.18), isso significa que as estruturas e as forças que encorajam a pobreza, a doença e o crime servem ao reino do mal. Já que Satanás deixa as mentes dos ímpios cegas diante do Evangelho (2 Co 4-4), as coisas que desencorajam nosso testemunho evangélico (em palavras e ações) diante dos necessitados hão de promover as ações de Satanás.

4.2 O demonismo ajuda-nos a reconhecer que a resistência humana a DEUS tem relevância ulterior. Colocada no horizonte da vitória escatológica do Reino de DEUS sobre as forças das trevas, a obediência e a desobediência a DEUS, no presente tempo, são questões bastante graves. Com cada decisão na vida cristã, os crentes devem optar em favor do Reino de DEUS e postar-se contra o reino das trevas. Buscar o Reino de DEUS e a sua justiça é o desafio constante do cristão. Às vezes, as escolhas poderão parecer difíceis e ambíguas. Mas a gravidade da escolha da obediência e a necessidade do consolo e do perdão divinos em meio as nossas opções nunca deverão ser subestimadas. O papel desempenhado pelo demonismo na teologia e no testemunho cristãos indica a gravidade das nossas escolhas.

  1. PERSEVERE E VENÇA A LUTA!

5.1 Que outras armas fazem parte do arsenal de Satanás, e por que isso não deve nos surpreender? O que acontecerá com Satanás, e como isso serve de incentivo para você perseverar?

O orgulho, o materialismo e a imoralidade sexual são apenas três armas à disposição de Satanás. Existem muitas outras. Por exemplo, alguns cristãos enfrentam oposição de parentes, zombaria de colegas de escola ou até mesmo restrições na pregação, impostas pelo governo. Essas dificuldades não nos surpreendem, pois Jesus alertou seus seguidores: “Vós sereis pessoas odiadas por todos, por causa do meu nome; mas aquele que tiver perseverado até o fim é o que será salvo.” — Mat. 10:22. Satanás será aniquilado.

Como podemos vencer nossa luta contra Satanás? Jesus disse a seus discípulos: “Pela perseverança da vossa parte adquirireis as vossas almas.” (Luc. 21:19) Nada que os humanos possam fazer deixará danos permanentes. Ninguém pode tirar de nós a valiosa amizade que temos com Deus, a menos que deixemos isso acontecer. (Rom. 8:38, 39) Nem a morte de servos de Jeová representa uma vitória para Satanás, pois Jeová os ressuscitará. (João 5:28, 29) Por outro lado, as perspectivas de Satanás são sombrias. Após a destruição de seu mundo perverso, Satanás ficará mil anos preso no abismo. (Rev. 20:1-3) No fim do Reinado Milenar de Jesus, Satanás será “solto de sua prisão” por um curto período para uma tentativa final de desencaminhar a humanidade perfeita. Depois disso, o Diabo será destruído. (Rev. 20:7-10) Não há nenhuma esperança para Satanás. Mas, para você, há! Tome sua posição contra ele, firme na fé. Lute contra Satanás — e vença!(Efésios 6:10-18).

CONCLUSÃO:

A existência dos demônios e a sua atuação na esfera humana não pode ser ignorada, devemos está precavidos seguindo as instruções que a Bíblia nos traz, para que, sem receio algum enfrentemos os embates espirituais no nome de Jesus. A vitória de nosso Senhor sobre os ataques de Satanás qualificaram-no para ir à cruz. Ali Satanás parecia ter conseguido a sua vitória, evitando o estabelecimento de um reino messiânico, mas, ironicamente, esta vitória de curta duração na realidade destruiu o reino do próprio Satanás. Na cruz, os pecados da humanidade foram completamente pagos, e a derrota de Satanás foi garantida, embora não seja até o final do Milênio que ele, por fim e permanentemente, seja confinado ao eterno lago de fogo” (LAHAYE, Tim; HINDSON, Ed. Enciclopédia Popular de Profecia Bíblica. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, p.412).



O conteúdo e as opiniões expressas são de inteira responsabilidade de seu autor.

Deixe seu Comentário!



Top